Páginas

domingo, 30 de setembro de 2012

Crônicas de um tempo bom.


Crônicas de um tempo bom.


Arrancava suspiros alheios,
Admirava mãos alheias,
Derretendo o ouro que circulava os dedos nus,
que outrora me causava inveja.
Vestia minhas mãos com algo similar,
reduzindo minha vontade,
Diminuindo o caminho pra encontrar minha felicidade.
Cada rosto que cruzava meu olhar,
mantia acesa minha esperança,
Cada perna lisa, Bumbum empinado, Seios Duros,
 Faziam-me viajar num futuro bem próximo,
Imaginava-me passeando por tanta perfeição criada
Só pra que fosse admirada e cortejada por mim.
A cada vestido curto,
A cada falta de elegância nos olhares vindo em minha direção,
Causava-me uma elevação interior.
Passava horas me arrumando,
Por minutos de banho demorado,
Por minutos de loções pós-banho,
Por minutos de gel em meus cabelos,
Por minutos em escolher a melhor roupa,
Por minutos em criar coragem em pegar meu telefone,
Por minutos em criar coragem e te chamar pra sair,
Enfim por minutos em ligar minha moto,
Por minutos em ficar cortejando a ideia de tamanha loucura.
O rumo que tomei talvez não me aproximasse da felicidade,
Mas fizestes com a agonia em ficar admirando-a
A cada dia mais e mais, permanecesse acesa
A cada vestido curto que colocava
Quando fazia questão de passar no estreito que circulava sua casa
No horário não planejado,
Meu coração não tinha outro destino.
Por horas de cartas escritas pra que enxergue meu amor por ti,
Por minutos de linhas que voltava uma a uma,
Por minutos de lembranças de coisas que poderiam agradá-la,
Por minutos lembrando-me das rosas
Que poderiam jogar na porta de sua casa,
Alegrando um pouco mais seu começo de dia,
Por minutos lembrando-me dos filhos que poderíamos ter,
Por minutos lembrando-me das musicas que ouvi falando de você,
Por minutos lembrando-me das viagens  fotografadas
Em momentos que ainda viriam com toda força em minha memória,
Enfim por minutos de bobeira rasgando tudo
Que expressava minha ignorância por saber
Que não tenho dinheiro pra sustentar seu vicio...

Marcos Malta

Nenhum comentário:

Postar um comentário

 
Marcos Malta © Copyright | Template By Mundo Blogger |
Subir